quinta-feira, 30 de abril de 2009

VIGÍLIA MONFORTINA - 28 DE ABRIL 2009

Abril de 1709, - cumprem-se agora trezentos anos - São Luís Maria de Montfort está em Pont-Château a pregar uma missão. O povo adere em massa à convocação do Missionário Apostólico para escutar que é por Maria que se vai a Jesus. Mas também para ver um homem todo fogo, dócil como uma pena ao sopro do Espírito. Despojado de tudo, não vive senão de Deus e para “Deus Só”.
A Sua Presença é uma Presença de Amor e de Graça. De um amor abrasador, que preenche, colmata, e gera paz e felicidade.



Blain: (personagem interpretada pelo Hélio) Grignion de Montfort quais são os teus planos para o futuro ? Por acaso pensas que alguém está disposto a seguir os teus passos, a ter uma vida como a tua?
Montfort: (personagem interpretada pelo Luís Gonçalves)Tens alguma coisa a dizer sobre o estilo da vida de Jesus? Consegues encontrar aqui, neste livro que testemunha a Vida de Jesus e dos Apóstolos, alguma coisa que eu não viva e não pratique? Na pobreza, no abandono à Divina Providência, na mortificação em que vivo, eu apenas quero ser um indigno imitador de Jesus Cristo e dos Apóstolos pobres.
Blain: Falas de Jesus Cristo, mas sabes, como ninguém, que os tempos não estão fáceis para a fé.
Montfort: Não te esqueças que a maneira de O procurar não é igual para todos. Cada um tem o seu caminho para ir até Deus.
Blain: Mas como ensinar às pessoas, hoje, onde está Deus e como encontrá-Lo?
Montfort: Vou revelar-te um segredo, quase é uma confissão. Deus favoreceu-me, a mim, pobre e humilde pecador, com uma graça muito particular que é a presença contínua de Jesus e Maria no íntimo da minha alma. Sinto-Os presentes em mim. Não há nenhum instante, nem nenhum lugar em que eu não participe da intensa comunhão com Jesus e Maria.

Por inspiração de Deus e ardor no coração, São Luís de Montfort tem uma visão. No horizonte da sua contemplação, surge um monte, a erguer-se na planície. Recorda o Monte do Calvário, nos arredores de Jerusalém, onde Jesus celebrou com a dádiva da própria vida a aliança amorosa com a humanidade.
Um monte, uma construção feita pelo povo, um Calvário que pode ser visto de todas as distâncias. Assim é o amor. Visível, concreto, ao alcance de todos os olhares.



Maria Luisa: (personagem interpretada pela Joana Carneiro) Padre de Montfort, a miséria, a pobreza dos hóspedes deste hospício de Poitiers dilacera o meu coração. O abandono a que estão sujeitos rasga-me a alma.
Montfort: É natural que isso aconteça a uma jovem como tu, minha filha, que pertences à nobreza. Entre os muitos hábitos de bom tom, de elegância, (das maneiras chiques, como dizem) que os da tua classe cultivam, também está o mostrarem uma certa pena pelos pobres e marginalizados. Tais sentimentos, no entanto, soam a falso. (...) Vai, torna para o teu palácio.
Maria Luisa: Não me mande embora, padre. (...)Peço-lhe para me aceitar como serva dos mais pobres e abandonados.
Montfort: Este hospício (...)é um calvário. Aqui estarás com Cristo vivo, presente em cada homem e mulher que para aqui foi atirado.Os pobres são o próprio Jesus Cristo.
Maria Luísa: Mostrai-me, padre, o modo de o conseguir.
Montfort:Pela Sabedoria e com o auxílio de Maria.(...)Mostra a estes teus irmãos que Deus os ama.



PRESIDENTE: (Pe Rui)O calvário foi o monumento ao Amor que São Luís ergueu em Pont-Château. A cruz é o testemunho sensível do amor de Deus pelos homens.

E tu, qual é o monumento que ergues ao amor de Deus, à esperança, à vida?

Convido cada um, a aproximar-se do «Calvário» a retirar uma pedra, que quer ser o símbolo do monumento e fazer, silenciosamente, o propósito dum compromisso e assumir um gesto concreto de amor, alegria, esperança e fé.



Oremos
Deus, Pai Santo, que em São Luís Maria de Montfort nos destes um Apóstolo da Sabedoria eterna e encarnada, fazei que, com a sua intercessão, façamos do nosso coração o berço da Vossa Presença e da nossa vida um memorial ao Amor para testemunharmos com ardor missionário as vossas maravilhas e contribuirmos para a renovação do cristianismo nos cristãos. Isto Vos pedimos por Jesus vivente em Maria que, convosco vive e reina na unidade do Espírito Santo.


TEXTOS - PE RUI
FOTOS TIRADAS PELO PE LUÍS
CENÁRIO IDEALIZADO E MONTADO PELA Dª CECÍLIA E PELO PROF. SÉRGIO

4 comentários:

sempre convosco disse...

Foi bem, muito bem! Além da oração - neste dia tão significativo para todos os que trazem consigo a 'marca' monfortina - foi muito bela a representação.
Foi pena que alguns, por 'mais' imensas e razoáveis razões, não tivessem participado. Há ocasiões que não voltam, embora haja sempre 'novas oportunidades'.
Foi uma graça, para quem tive a ousadia de descer à Igreja da Póvoa.
Foi bonita a maneira de entrelaçar o espaço com as palavras, os símbolos e os gestos.
Foi... um fôlego que retempera a alma, um dom que ajuda a dar frutos, um maior conhecimento de Montfort.

Anónimo disse...

Boa noite,não tive a Graça de partecipar nessa oração.
Mas tenho a certeza que foi tão boa como diz a nossa irmã"sempre convosco"conhecendo a pessoa que fez o texto e que presidiu só tinha que ser boa em todos os sentidos.
Voces,juventude monfortina são uns sortudos,em terem ai uma pessoa assim convosco.Tudo de bom para a juventude monf.Abraço,em Cristo,Maria e Montfort

Anónimo disse...

Boa noite.
Concordo com o que dizem as 2 pessoas que comentaram.
É muito importante ter uma pessoa ,como o P.Rui do vosso lado.
Mas voces tambem estão de parabens,porque se não fosse a vossa,vontade e gosto de seguir,e conhecer, Jesus,e Montfort,o P.Rui sozinho não podia fazer o trabalho que tem feito.
Na Vigília,há que dar os parabens a todos,desde quem preparou o local,o texto,e quem tirou as fotos.Continuem voces são o futuro desta igreja a que tds pertencemos.Abraço em Cristo,Maria,Montfort

Passei por aqui disse...

Passei por "aqui" e principalmente por "lá". Primeiro desci e depois subi ao calvário... cada um tem o seu caminho para chegar até Jesus. Com Monfort, com Maria , convosco e com a minha pedrinha continuarei a caminhar.
Bela celebração!