terça-feira, 10 de março de 2009

CAMINHADA QUARESMA - PÁSCOA 2009 - "SINAIS DO ENCONTRO"

A Quaresma é um tempo que convida à reflexão e à conversão interior, preparando-nos para a alegria Pascal da Ressurreição de Jesus, que nos salva e irremediavelmente nos compromete com Ele. Deste modo, segue-se uma proposta de caminhada Quaresmal, que se prolonga depois até ao fim do tempo Pascal.
Esta caminhada pretende ajudar-nos a descobrir na Palavra, ao ritmo da liturgia de cada domingo, os “Sinais do Encontro”, isto é, os sinais que ela nos vai dando para que cada um de nós se encontre consigo mesmo, com os outros, com a alegria da vida nova pascal, ou seja, para que cada um se encontre com Jesus, Palavra Encarnada, Vivo e Ressuscitado.


QUARTA-FEIRA DE CINZAS

Sinal: Via com Prioridade



* O Tempo Quaresmal/Pascal que iniciámos na quarta-feira de cinzas é um caminho/via que deve merecer prioridade na vida dos cristãos. As cinzas são expressão da atitude necessária durante esta caminhada. A cinza é sinal desta consciência humana e atitude humilde que permitirá percorrer este caminho de verdadeira conversão do coração em direcção à Páscoa.
* S. Paulo também faz este caminho de conversão: torna-se cinza, depois do encontro e do confronto com Jesus, dando prioridade à via da Evangelização e do anúncio de Cristo a todos os homens.
* Na sua habitual carta Quaresmal, o Patriarca D. José Policarpo pede-nos, nesta Quaresma 4 atitudes: oração, jejum, esmola e penitência (Evangelho)

I DOMINGO DA QUARESMA

Sinal: STOP



* A Quaresma é tempo de parar, de fazer STOP.
* “Antes de dar início à Sua pregação, Jesus entrega-se à oração, uma atitude quaresmal; antes de se apresentar em público, vai para o deserto; antes de Se misturar com o povo, retira-se para a solidão. Antes de ir ao encontro dos homens, busca a intimidade do Seu Pai, que está no Céu” (K. Rahner).
* O deserto significa o espaço de paragem obrigatória, de reflexão, oração, introspecção para quem quer fazer um caminho sério em direcção à Páscoa, isto é, em direcção a uma vida nova.
* Para se encontrar o caminho certo, o caminho que nos conduz ao encontro com Cristo, é preciso parar. Foi o que fez S. Paulo: mergulhou no deserto da sua cegueira, olhando para si mesmo, para dentro de si, onde ecoava a voz que o chamou; parou para mudar radicalmente o rumo do seu caminho, parou para encontrar os sinais que conduzem à alegria plena em Cristo Ressuscitado.


II DOMINGO DA QUARESMA

Sinal: Estacionamento Proibido



* Parar sim, mas não estacionar.
* A Quaresma convida a parar interiormente, a construir tendas do encontro com Jesus, mas simultaneamente a agir, a descer do monte e a anunciar a boa nova de Jesus Cristo transfigurado.
* A experiência, breve mas maravilhosa, que foi dado viver aos apóstolos na transfiguração, constitui uma antevisão da situação de Jesus, depois da ressurreição. “O seu rosto ficou resplandecente como o Sol e as suas vestes tornaram-se brancas como a luz”, ou seja, este acontecimento quer iluminar o nosso caminho, quer que descubramos a verdadeira missão do Messias e a coragem necessária para seguirmos os seus ensinamentos e a Sua vida de Ressuscitado. Mostra que é na cruz que descobriremos o verdadeiro sentido da vida, a verdadeira luz. A transfiguração é o prenúncio de que o triunfo da vida e da dignidade do homem nasce da cruz, no dar a vida, concretizando-se no homem transfigurado, no homem que deixa branquear as vestes do seu Baptismo pela luz da ressurreição.
* Tal como Cristo, cada um é chamado a dar-se, a assumir a sua cruz, transfigurando-se e dignificando-se. Mas, este dar-se tem de ser permanente e sem barreiras. S. Paulo dá-nos um excelente testemunho de alguém, que após mudar a direcção do seu caminho, jamais pára em direcção Àquele que é a sua “meta”, Jesus Cristo. Nada o detém na tarefa de anunciar o amor de Deus a todos os homens!

III DOMINGO DA QUARESMA

Sinal: Proibição de inversão do sentido de marcha



* Fazer caminhada quaresmal significa seguir em frente, não inverter a marcha.
* Quem acredita em Jesus fica “proibido” de olhar apenas ao que já passou; não pode ficar preso ao passado, agarrado apenas a um templo material, como os judeus, a um lugar físico, mas a uma Pessoa viva que reunirá à sua volta todos os crentes.
* Enquanto, até aqui, o lugar do encontro com Deus era o Templo de Jerusalém, a partir de agora, o Corpo de Jesus, destruído pela morte e reedificado com a Ressurreição, passa a ser o novo lugar, a nova morada onde Deus se encontra com cada crente.
* Também Paulo rompe definitivamente com o passado, com o homem velho, perseguidor dos cristãos, para fazer um caminho novo, “apontado” para Cristo. Uma vez encontrados por Jesus, Palavra Encarnada, nós, tal como Paulo, estamos proibidos de voltar atrás, de inverter a marcha, voltando ao pecado.

IV DOMINGO DA QUARESMA

Sinal: Sentido proibido



* A Quaresma convida-nos a identificar o(s) sentido(s) proibidos e a encontrar caminhos alternativos que nos conduzam à verdadeira Páscoa;
* A cruz e o perdão que nela se gerou são esse caminho de luz, em oposição às trevas, que tantas vezes nos limitam e prendem;
* Neste Domingo, Jesus propõe-nos um caminho novo, um caminho de luz, um encontro com a Sua Palavra, cujo centro é este mistério da cruz de Jesus, que ilumina e transmite paz a todos os que se deixam encontrar por ela;
* A prática do sacramento da reconciliação é o sinal de encontro com a luz que Deus nos dá e além disso obriga cada um a olhar para dentro de si mesmo, fechando os olhos para às luzes do mundo, que erradamente nos iludem e atraiem, conduzindo-nos às trevas. É preciso cair na cegueira, como S. Paulo, para que depois possamos ver a Luz nova que é Cristo, alcançada na conversão e no perdão que nos é dado pelo Pai, na cruz do Seu Filho;
* Acreditar em Jesus, Luz do mundo, é acreditar no dom da vida e da reconciliação do homem consigo, com os outros e com Deus, como caminho alternativo àquele ou àqueles que nos conduzem às trevas;
* Aquele que vive na Luz, é capaz de ver a sua sombra, é capaz de identificar o que o afasta dessa mesma Luz, podendo seguir os sinais que conduzem ao encontro com a vida nova pascal.

1 comentário:

Marisa de Oliveira :D disse...

proibido inverter o sentido de marcha...
Nós ou somos ou não somos cristãos, acreditamos ou não acreditamos... não existem meio termo... não existe o católico não praticante... temos de decidir qual o caminho a tomar, qual o caminho a seguir, e se NOS decidimos seguir Jesus, então temos de percorrer esse caminho até ao fim... por mais obstáculos, dificuldades, pedras e buracos que encontremos no caminho, temos de ser capazes de seguir em frente, não desistir. Afinal quem disse que seguir Jesus era fácil? E não é esse o verdadeiro desafio? Das coisas fáceis rapidament perdemos o interesse, e as coisas dificeis de alcançar sao as que proporcionam maior prazer e entrega!!! Se decidimos seguir Jesus já não à volta atrás... só existe um caminho e um sentido!!!